Ferreira Gullar

Ferreira Gullar é poeta, crítico de arte, tradutor e ensaísta. Nasceu em São Luís do Maranhão em 10 de setembro de 1930 e foi batizado José de Ribamar Ferreira. Aos 19 anos, publicou seu primeiro livro de poesia, Um pouco acima do chão, e dois anos mais tarde mudou-se para o Rio de Janeiro, cidade em que mora até hoje.

Em mais de seis décadas, colaborou para jornais e revistas, escreveu peças de teatro, diversos ensaios e publicou algumas das mais importantes obras da poesia brasileira como o Poema sujo, escrito nos anos 1970, período em que esteve exilado, e os livros A luta corporal (1954), Dentro da noite veloz (1975), Na vertigem do dia (1980), Barulhos (1987) e Muitas vozes (1999).

Em 2010, ganhou o Prêmio Camões, o mais importante da língua portuguesa, pelo conjunto de sua obra. No mesmo ano, lançou mais um livro de poemas, Em alguma parte alguma (José Olympio), e uma edição apresentando sua Zoologia bizarra (Casa da Palavra), eleito pela Academia Brasileira de Letras a melhor obra infanto-juvenil do ano.

Em 2012, as ilustrações que fez para seu livro Bananas podres (Casa da Palavra) deu a Gullar o Prêmio Jabuti, o primeiro que ganhou como ilustrador. É que Gullar adora novidades. E o melhor: diverte-se muito com elas.


 

 

Livros deste autor